Bancos E Instituições Oferecem Crédito E Renegociação A PMEs Afetadas Pelo Coronavírus

Com o menor fluxo de consumidores no comércio e o anúncio de medidas como o fechamento de lojas e shopping centers, empresas brasileiras já estão sentindo os impactos da pandemia de coronavírus nos bancos e instituições.

Após uma cuidadosa análise das finanças do negócio, o crédito pode ser visto como uma alternativa. Assim como e alguns bancos e instituições de fomento anunciaram condições especiais para PMEs nesse período.

Portanto algumas medidas também têm sido adotadas pelo Governo Federal. Entre elas está o corte no recolhimento de impostos do Simples Nacional e a possibilidade de adiar o pagamento do FGTS por três meses. Uma Medida Provisória (MP) também passa a permitir a redução proporcional de salários e da jornada de trabalho de funcionários.

Bancos E Instituições Oferecem Crédito E Renegociação A PMEs Afetadas Pelo Coronavírus 24 de março de 2020

Bancos e instituições

Banco do Brasil, Bradesco, Caixa, Itaú Unibanco e Santander atenderão a pedidos de prorrogação, por 60 dias, do vencimento de dívidas de pessoas físicas e micro e pequenas empresas. A medida foi anunciada pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e vale para contratos vigentes em dia e limitados aos valores já utilizados.

 Bancos e instituições

Banco do Brasil

O banco anunciou a liberação de R$ 48 bilhões para reforçar as linhas de crédito destinadas a empresas. Embora os recursos serão disponibilizados para capital de giro, investimento e antecipação de recebíveis e podem ser solicitados pelos canais digitais e nas agências.

Caixa

Entretanto as medidas anunciadas pela instituição está a liberação de R$ 40 bilhões para pedidos de crédito para capital de giro. Portanto com foco em pequenas e médias empresas e negócios do setor imobiliário e as pequenas e médias. Nesta quinta-feira (19), foram detalhadas novas condições para pessoas físicas, jurídias e outras áreas.

Embora com foco nas empresas, o banco reduzirá as taxas de juros para as linhas de capital de giro, que agoram partem de 0,57% ao mês e têm carência de 60 dias.

Serão disponibilizadas ainda linhas de crédito especiais, com até seis meses de carência, para empresas dos setores de comércio e prestação de serviços, mais afetadas pelo momento. Linhas de aquisição de máquinas e equipamentos também terão taxas reduzidas e carência de até 60 dias.