Bancos Prometem Adiar Dívidas Sem Multas, Mas Clientes Contestam Serviço

Os bancos prometem colocarem em prática esta semana novas regras para clientes que estão com dinheiro curto depois que as restrições determinadas pelo governo para conter o novo coronavírus acabaram afetando a vida financeira de famílias e empresas.

Entre as novas condições, Banco do Brasil, Caixa, Itaú Unibanco, Bradesco e Santander dizem que vão prorrogar pagamento de dívidas sem a cobrança multas. As medidas foram tomadas depois que o Banco Central liberou R$ 56 bilhões que os bancos são obrigados a deixar separados, como colchão de segurança.

Dessa forma, as instituições financeiras puderam aumentar as linhas de crédito sem custo extra para elas. Mas clientes dizem que não estão conseguindo acessar o benefício bancos prometem.

Além de pessoas com dificuldades para obter informações sobre como prorrogar as parcelas, há consumidores que relatam que tiveram o pedido negado ou, quando conseguem a mudança, há cobrança de juros pelo tempo a mais do parcelamento.

Bancos Prometem Adiar Dívidas Sem Multas, Mas Clientes Contestam Serviço 21 de março de 2020

Atendimento online

Os bancos respondem que estudam caso a caso e que estão implementando os processos. As instituições financeiras alertam os clientes que o acesso às novas condições ou a novos empréstimos pode e deve ser feito por meio da Internet, no computador, tablet ou celular, ou ainda via aplicativos.

A ida à agência só deve ocorrer em último caso. As instituições financeiras disseram que estão avisando clientes sobre as novas possibilidades via SMS, e-mail ou ainda através dos aplicativos. Então, fique atento aos seus canais de comunicação com o seu banco para usar essas condições.

Caixa

Para pessoa física: A Caixa está dando a possibilidade de o cliente congelar por até 60 dias o pagamento de crédito pessoal. Financiamento imobiliário: Para as pessoas físicas e empresas, será possível adiar o pagamento de até duas prestações pelo aplicativo habitação da Caixa, sem precisar ir às agências.

Perguntada sobre cobrança de juros nessas operações, a Caixa respondeu que “os juros serão recalculados e acrescidos ao saldo devedor do contrato”. Assim, diz o banco, “o cliente realizará o pagamento desse valor, de forma diluída, ao longo das parcelas restantes da dívida”. Ou seja, o cliente que conseguir adiar o pagamento das parcelas vai ter que pagar .

Mais Imagens