Simulação Financiar Casa E Como Fazer

Para o professor, o ideal é sempre usar as mesmas condições na hora de fazer as simulação.”O importante é comparar sempre a mesma coisa.

Se você quer financiar os custos com o cartório, tem de colocar isso nas simulações de todos. Se escolheu pagar pelo SAC (Sistema de Amortização Constante), todas as simulações precisam ser feitas pelo SAC. Também é preciso colocar o mesmo valor de entrada”, afirmou.

Simulação Financiar Casa E Como Fazer

Investimento no Ourinvest

O especialista em investimentos do banco Ourinvest Mauro Calil afirmou que o consumidor deve verificar não só os juros, mas também o CET (Custo Efetivo Total) e quanto pagará no final. “É preciso olhar o Custo Efetivo Total, que incluirá juros, seguro e taxas, por exemplo. Quanto menor o CET, melhor. Outra forma de ver qual é o melhor financiamento é, depois de fazer a simulação, somar as parcelas que terá de pagar. Você compara esse mesmo número em todas as simulações e vê o que é mais barato.”

Para quem está em dúvida se faz o financiamento pela tabela Price ou pelo SAC, o especialista recomenda o SAC. “A tabela Price tem prestações fixas e tende a ser mais cara, pois o cálculo de amortização vem depois do pagamento dos juros. No SAC, você amortiza e, depois, paga os juros. Além disso, as prestações caem ao longo do tempo. O que eu indicaria é: se as prestações do SAC couberem no seu bolso, financie pelo SAC simulação. Se não couberem, não financie pela Price, e espere até conseguir financiar pelo SAC.”

Seguradoras

Durante as simulações, os bancos também oferecem opções de seguradoras, e o valor das prestações pode variar. Os seguros são para casos de morte e invalidez permanente e para danos físicos do imóvel, por exemplo. Fernandes afirmou que o ideal é perguntar ao gerente a diferença de cobertura de cada uma. Se quiser contratar outra empresa, é possível, segundo Calil. “Você não é obrigado a aceitar o seguro que o banco ofereceu, mas o banco pode exigir que você faça o seguro para, depois, liberar o financiamento”, disse.

Assim sendo Cuidado com o orçamento Calil afirmou que é preciso ter atenção ao comprometimento do orçamento. “As pessoas esticam o prazo para ficar com uma parcela menor. Mas, quanto mais prazo você dá, mais juros você paga, mesmo que a parcela esteja menor. Portanto a recomendação é que a soma de todas as parcelas que você paga naquele momento não seja superior a 30% do seu orçamento líquido. O ideal é que fique abaixo de 20%. Ter o orçamento muito comprometido é uma porta aberta para o endividamento”, disse.